FABULOSOS MATERIALIZADORES

17H → 19H

Alou, artistas, designers, arquitetos, engenheiros, piratas, inventores, hackers e curiosos desse mundo: a Fabulosa Fábrica de Ideias convida a todos para uma roda de conversa aberta sobre a cultura do fazer.

Estamos vivenciando mais uma revolução industrial, que provoca uma convergência de diversos universos – arte, cultura, educação, design, tecnologia. Propomos um encontro com diversos agentes desse movimento para discutir sobre os caminhos da cultura materializadora e o futuro ambientes de fabricação e aprendizagem. Mais do que respostas, interessa levantar perguntas e conexões significativas. 

Alguns convidados apresentarão experiências e insights dando início a uma conversa livre sobre o tema:

Andrés Passaro    
Professor da FAU-UFRJ. Coordena o Laboratório de Modelos 3d e Fabricação Digital (LAMO) e desenvolve projetos e pesquisas em fabricação digital e habitação emergencial.

Bernardo Amaral
Designer e co-fundador da Terravixta. 

Dado Sutter    
Criador do OHMS (Our Home MakerSpace) e desenvolvedor de software e hardware embedded, atuou como pesquisador pela PUC-Rio e é autor do framework de desenvolvimento eLua (Embedded Lua), atualmente em uso pela NASA. Sua empresa atua no mercado há 35 anos em inúmeras atividades envolvendo automação industrial, controle predial, helicópteros de rádio controle, impressão 3D, drones, prototipação rápida, meta-marcenaria, ultra-leves, parapentes,...., Foi o primeiro brasileiro a fabricar um computador pessoal caseiro, ainda em 1979, anos antes do primeiro IBM PC ser lançado.

Daniela Brayner
Fundadora e CEO da Nuvem Criativa consultora em economia criativa e cultura digital para diversas instituições, idealizadora e diretora geral do Festival PICNIC Amsterdam no Brasil. É também representante oficial no Brasil do “The Global Children´s Designathon”, evento maker para crianças que acontece simultaneamente em diversas cidades do mundo inteiro, como Nairobi, Berlim, Dublin, Amsterdam e Rio de Janeiro, idealizado pela Unexpect. Curadora do festival SESI CULTURA DIGITAL e organizadora da primeira Hackathon do Sistema FIRJAN. Na Diretoria de Desenvolvimento Econômico do Sistema FIRJAN, foi responsável pelas ações de Economia Criativa.

Guido Conrado    
Sócio na In_Comum Coletivo, atua na empresa na área de processos criativos. Com grande experiência em gestão do ensino superior, formulação de currículos e gestão de projetos artísticos e educacionais, Guido Conrado é Mestre em Filosofia da Arte e Estética pela PUC-Rio, Dramaturgo e Teórico Teatral, formado pela Uni-Rio. Coordenou o Curso de Artes visuais, Figurino e Indumentária da Faculdade Senai/Cetiqt entre 2007 e 2014 e participou do grupo de estudos da Cadeia Produtiva do Figurino, na linha de pesquisa em Economia Criativa da Gerência de Inovação, Estudos e Pesquisa na mesma Instituição, onde também foi professor das disciplinas história da arte, estética, Teoria da Moda e Laboratório de Criação, dentre outras de cunho teórico ou filosófico.  Participa de congressos, palestras, workshops e seminários, sempre discutindo as relações entre arte, inovação, criatividade, moda, cultura e Economia Criativa, vestuário e sociedade.

Gilberto Vieira
coordenador do Bela Labe, espaço maker recém lançado pelo Observatório de favelas na favela da maré. 

Henrique Monnerat
designer e fundador da rede maker Designoteca.

Ivan LP    
Ivan LP é produtor cultural, artista multimídia, organizador e curador do festival SESI Cultura Digital e um dos fundadores do selo Fazedores de Som.

Livia Diniz
Como diretora artística e carnavalesca, participou de desfiles de carnaval para crianças e pessoas portadoras de necessidades especiais. No desenvolvimento de tecnologias da educacão, durante 10 anos fez parte da criação e realização de projetos da Escola de Samba Mirim Pimpolhos da Grande Rio, como a Escola Lúdica Pedagógica, Escola de Carnaval e Pimpolhos nas Escolas. Foi tutora no Visiting School RJ da AA – Escola de Arquitetura e Design de Londres e desenvolve laboratórios de arte, tecnologia e direitos humanos com criaturas, carros alegóricos e fantasias interativas. Desde 2013, participa da coordenação do Ponto de Cultura Casa Nuvem.

mediação: Tomás Deleuse
facilitador Dragon Dreaming e co-fundador da CARPE Projetos Sócioambientais. Mais do que uma empresa, a CARPE é um movimento que tem como proposta (re) pensar, (re) funcionalizar e adaptar os espaços de maneira participativa através das suas relações, buscando estabelecer sustentabilidades e harmonia. 

 


Atividade aberta ao público, sem inscrição e remunerada através de contribuição consciente.